sábado, 20 de dezembro de 2008

Sobre a novidade do novo e a vontade insaciável de escrever

Tudo que é novo chama atenção. Tá, nem tudo, mas muita coisa.

Quando conhecemos algo novo ou começamos a fazer uma coisa diferente, começamos empolgados e aquilo não raro invade o nosso pensamento sem pedir licença, mais do que gostaríamos muitas vezes. Quem não experimentou isso ao fazer o Orkut? "Quero encontar logo meus amigos. Fiquei sabendo que podemos encontrar aqueles colegas da 5ª série. Tantas comunidades legais, quero entrar em todas. Hummmm, ver as fotos daquela gatinha...". Nos logamos todo dia, várias vezes... (ok, ok, isso não é regra, mas comigo foi assim...)

E quando começamos a malhar? Opa, quero logo que chegue amanhã. Fazer avaliação, começar uma nova série... "Yea Yea, já tô ficando fortinho..." Dançar!!! Ahhhh, começar uma dança nova. As primeiras aulas sempre cheias de novos passos, damos um upgrade de 100% na primeira semana e já achamos que somos oooo dançarino.

Vai a primeira semana, vai a segunda semana, vai a terceira semana, e o que era novo fica velho, o que era novidade vira conversa batida... Pois bem, todo esse papo pra dizer que...

Estou com uma vontade insaciável de escrever... escrever... escrever... aaaaaaaaah... fazer várias postagens, falar sobre tudo que quero e o que não quero, só pelo prazer de escrever... Fui almoçar depois de escrever o post abaixo... nem conversei direito só pensava sobre os temas dos futuros posts... Retrospectiva 2008 em palavras; Planos que tenho para 2009; Planos que Não tenho para 2009; Sobre os livros que li e os livros que não li; Sobre as piadas que já contei; Retrospectiva 2008 e o Gmail...

E por aí vai... ou melhor, virá...

E tudo isso por que é tudo novo... Nooooovo... A idéia de ter um blog é nova, o blog é novo, escrever sobre assunto nenhum e qualquer assunto é algo que chama atenção, é novidade... Espero que não seja novidade passageira, espero que não seja fogo de palha. Afinal, escrever é sempre novo. O assunto nunca é o mesmo. E se for, a abordagem é sempre diferente. Além disso, escrevemos com o que somos, e somos outro a cada dia. E tudo é novo de novo.

Mais do que novidade, escrever pra mim é uma paixão que finalmente coloco em prática. E sobre esses amores (talvez pra sempre, talvez efêmeros) diria o poeta:
"Que seja eterno enquanto dure"

Um comentário:

  1. Pois é, agora é só você continuar assim e não parar no meio neh??

    ResponderExcluir